Vereador cobra das autoridades, ausência de Corumbá nas discussões sobre o Taquari

Fevereiro 27, 201911:03 am

A ausência de Corumbá no encontro em Brasília, quando o governador Reinaldo Azambuja apresentou a proposta de recuperação da bacia hidrográfica do Rio Taquari ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, foi duramente criticada pelo vereador Luciano Costa na sessão de ontem, terça-feira, 26, da Câmara Municipal.

O encontro aconteceu no último dia 20 e teve participação de 11 municípios que integram o Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do Rio Taquari (Cointa), além do diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), Ricardo Éboli, e dos deputados estaduais Eduardo Rocha e Coronel David.

O assunto chamou a atenção de Luciano que entrou com um requerimento questionando o governador Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), o fato do município de Corumbá não ter sido convidado para o encontro em Brasília.

“Onze prefeitos participaram da reunião, juntamente com o deputado federal Beto Pereira, e do secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel. O que nos causa estranheza é a ausência do município mais afetado com esse desastre ambiental, que é Corumbá. Vamos nesta quarta-feira (hoje) a Campo Grande, para cobrar de nossos representantes, um posicionamento enérgico em relação a essa situação”, explicou.

Luciano questionou a ausência do prefeito Marcelo Iunes, como também dos deputados Evander Vendramini (Estadual) e Bia Cavassa (Federal), representantes da região pantaneira, a mais afetada pelo desastre ambiental Bacia Hidrográfica do Taquari.

“A maior parte da área afetada pelo desastre ambiental do Taquari, está dentro do município de Corumbá, nossas representantes têm que participar das decisões, inclusive no que se relaciona aos recursos que serão aplicados pelo Governo Federal, para recuperação da Bacia do Taquari”, ressaltou.

O vereador lembrou o fato do ministro haver assumido compromisso de viabilizar a liberação de parte dos R$ 6 milhões que estão num fundo criado pelo Governo Federal, que concentra dinheiro recebido de multas pagas por quem cometeu crimes ambientais pelo País, para viabilizar a recuperação da bacia, assunto tratado no encontro do dia 20, sem a presença de Corumbá.

SOS Santa Casa

Ainda na sessão de ontem, o vereador entrou com um requerimento cobrando o governador Reinaldo Azambuja, e o secretário de Saúde Geraldo Rezende, cobrando aumento do repasse do Governo Estadual para a Santa Casa de Corumbá.

“O Estado repassa um valor mensal de R$ 350 mil, baixo em comparação aos valores repassados para os hospitais de Três Lagoas, que é de R$ 900 mil, de Nova Andradina, R$ 890 mil. Queremos um valor maior para atender as necessidades do nosso hospital, melhorando o atendimento à nossa população, como também aos ladarenses e irmãos bolivianos que buscam atendimento no nosso hospital”, cobrou, afirmando que, hoje, em Campo Grande, vai intensificar as ações visando o aumento do repasse, junto com os representantes pantaneiros na Capital.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Câmara

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários

comentários