Sem novo convênio, prefeitura retira equipamentos do estádio Arthur Marinho

dezembro 23, 201711:25 am

A prefeitura de Corumbá, distante 419 quilômetros de Campo Grande, começou a retirar materiais e equipamentos do Estádio Arthur Marinho, na tarde de ontem (12). Eles haviam sido comprados com verbas do município e, após o fim do convênio que garantia a administração da praça esportiva da cidade ao executivo municipal, estão sendo retirados.

Segundo informações do site O Diário Corumbaense, o pedido formal para doação do estádio havia sido encaminhado a LEC (Liga de Esportes de Corumbá), dona do estádio, no dia 27 de setembro, pelo então prefeito, Ruiter Cunha, que faleceu após não resistir ao pós-operatório de uma cirurgia para corrigir um aneurisma da aorta abdominal, no primeiro dia do mês de novembro.

Na época, um documento foi entregue ao presidente da entidade, Leôncio Ribeiro Raldes, esclarecendo sobre o impedimento legal da prorrogação do convênio, de acordo com a lei federal n° 13.091/2014, porém, o Conselho Deliberativo da LEC, não aprovou a doação.

Por conta disso, a prefeitura anunciou que devolveria a administração da praça esportiva à LEC, que voltará a ser responsável pela gestão do espaço, a partir da próxima quarta-feira (27).

De acordo com o prefeito Marcelo Iunes, nem tudo será retirado do local. Segundo ele, tudo o que for permitido por lei que continue no estádio, e que não causa prejuízo ao município, será deixado. “No convênio está especificado que tudo que fosse adquirido pelo Município para ser usado na praça de esportes retornaria porque foi gasto com dinheiro público, então, deve retornar, temos que prestar contas disso”, afirmou o líder do executivo municipal.

Entre os materiais que devem retornar ao patrimônio local, estão itens que podem ser usados em áreas administradas pela prefeitura, como aparelhos de ar-condicionado, maca móvel, cortador de grama, colchões, mesas, geladeira, extintores de incêndio, móveis e outros materiais já foram retirados.

A decisão do município surpreendeu o presidente da LEC. “A questão é que o estádio estava em condições de jogo, mas agora está quase ficando impossibilitado. Estamos conversando com algumas pessoas para poder caminhar, só que não podemos decidir nada agora, só a partir do dia 27”, afirmou.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários

comentários