Carnaval e pesca: Corumbá Bombando

Março 2, 20192:18 pm

O carnaval é um dos grandes atrativos da Cidade Branca. E agora com a liberação mesmo que com cotas reduzidas para pescadores amadores, a cidade está tomada por turistas e pescadores que juntos estão aquecendo a economia do município.

Pesca: Confira as medidas

O período de defeso chegou ao fim e a partir desta sexta-feira (1º.3), os rios sul-mato-grossenses estão reabertos para a pesca, já sob a vigência do Decreto nº 15.166, que trouxe uma nova regulamentação para a pesca amadora e desportiva no Estado. Pescadores amadores e adeptos da pesca esportiva que visitam Mato Grosso do Sul devem ficar atentos aos limites definidos no novo regramento, como a cota de cinco quilos de pescado, mais um exemplar (respeitados os tamanhos mínimo e máximo) e cinco piranhas.

De acordo com Ricardo Senna, secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), “é importante lembrarmos que, neste ano, o fim do período de defeso ocorre na mesma época do feriado de Carnaval e devemos ter um fluxo maior de pescadores amadores nos próximos dias. É preciso estar atento para as mudanças nas regras neste ano. A cota de pescado cai para cinco quilos, mais um exemplar e cinco piranhas. Além disso, mais espécies têm tamanhos a serem respeitados”.

O secretário-adjunto da Semagro também lembra que as mudanças implantadas neste ano de 2019 em relação à quantidade de pescado  permitida para os pescadores amadores e esportivos, têm por objetivo estabelecer de forma gradual a “cota zero” para a pesca amadora a partir do próximo ano, medida que deve permitir a recuperação dos estoques pesqueiros dos rios do Estado.

“O decreto estabelece a “cota zero” a partir de 2020 no Estado, mas apenas para o pescador amador e desportivo. Nós não mexemos nas demais modalidades de pesca. A pesca científica, a pesca de subsistência e a pesca profissional continuam com os mesmos regramentos”, conclui. A pesca profissional continua com a cota de 400 Kg de pescado mensal.

Confira abaixo os tamanhos máximo e mínimo de captura para cada espécie, de acordo com o Decreto nº 15.166:

Nome Tam. Mínimo Tam. Máximo
Jaú 95 cm 120 cm
Cachara 83 cm 112 cm
Pintado 90 cm 115 cm
Pacu 45 cm 57 cm
Piraputanga 30 cm Indeterminado
Barbado 60 cm Indeterminado
Pati 65 cm Indeterminado
Jurupoca 40 cm Indeterminado
Curimbatá (curimba, Papa-terra) 38 cm Indeterminado
Piavuçu 38 cm Indeterminado
Jurupensém 35 cm Indeterminado
Armao, armado, abotoado 35 cm Indeterminado
Cascudo-abacaxi 30 cm Indeterminado
Cascudo, acari 30 cm Indeterminado
Corvina 30 cm Indeterminado
Cascudo-preto 25 cm Indeterminado
Mandi, mandi amarelo 25 cm Indeterminado
Piau 25 cm Indeterminado
Piau-Três-Pintas 25 cm Indeterminado
Pacupeva 20 cm Indeterminado
Palmito 35 cm Indeterminado
Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários

comentários